• Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle
  • Linkedin
  • Vimeo
  • gmail

CASA BLACKBIRD

Esse projeto, feito em parceria com a arquiteta Nara Bernardi, visa atender um casal e o programa abrange suas necessidades e atividades. Inicialmente pensou-se em dividir esse programa em dois setores (casa principal e chalé).

No volume da casa principal concentram-se os ambientes fundamentais para uso diário. A área reduzida pedida pelos clientes foi pensada de forma que os espaços atuassem de forma funcional, mas ainda proporcionando conforto aos seus usuários.

O elemento de grande destaque no projeto é a estrutura metálica escura que se apoia no terreno e projeta a casa sobre ele, enaltecendo algumas aberturas e vistas. Sua capacidade estética permite dar uma maior leveza ao volume e mantém uma linguagem industrial, que interage com o ambiente bucólico.

O intuito do projeto é não modificar de maneira agressiva o perfil natural do terreno, portanto foram feitos níveis que se acomodam à estrutura metálica e permitem maior liberdade à inclinação e vegetação existente.

Os dois volumes do chalé foram pensados para funcionar como residência provisória enquanto a construção da casa principal estaria em andamento e atuaria como casa de visitas e apoio para quando todas as edificações estiverem finalizadas.

Os blocos mantém a linguagem estética da casa principal, tanto na forma quanto na utilização dos materiais. Sua implantação está em uma área de mata mais densa, o que permite uma edificio com menos incidência solar, sendo mais arejado e fresco.

 

 

COLABORADORES: CÁSSIO ONOHARA, EROS SECUNDUS, PEDRO RETZ, PEDRO SIQUEIRA LOPES E NARA BERNARDI

LOCALIZAÇÃO: IBIPORÃ - PR

ÁREA DE CONSTRUÇÃO: 154 m²

SITUAÇÃO: EM CONSTRUÇÃO

ANO DO PROJETO: 2018

Para esse Projeto Arquitetônico também foi proposto o Projeto de Interiores.

 

As soluções adotadas para esse projeto de interiores dialogam com a arquitetura adotada em estruturas metálicas aparentes, vedações em drywall e panos de vidro integrando a construção à natureza.

Apreciadores de gêneros musicais como o rock, era um desejo do casal uma identidade mais industrial e que refletisse seus gostos, assim, para o mobiliário foram escolhidos tons de madeira escura e a cor preta. O piso em cimento queimado e a cobertura clara dão amplitude sem perder o aconchego.